quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Batuqueiro de Verdade Vota em Batuqueiro!

Será que isso é possível?
Após as eleições municipais de 2008 escrevi no meu perfil do Orkut que “de novo não temos representantes na câmara municipal!”, e complementei “êta povinho burro!”. De imediato Mãe Viviane de Iansã me chamou a atenção: “Não chama de burro. É politicamente incorreto de tua parte. [...] Esse fato não foi isolado. Tem continuidade e razões. Busque a explicação, esqueça por enquanto a conseqüência. Burro é uma justificativa emocional, e muito fácil para estes dados.”

Ela tem razão mais uma vez. Fui emotivo, passional, mas por outro lado era essa a minha intenção mesmo. Queria provocar as pessoas que lessem essa frase. Queria provocar essa reflexão. Queria que elas pensassem um pouco. Será que ganhamos alguma coisa nesta eleição?

Somando os votos de todos os candidatos a vereança de Porto Alegre ligados ao povo-de-santo, totalizariamos 5.610 votos, muito  longe ainda dos 7.046 votos que o carioca e pastor da Igreja Universal do Reino de Deus Waldir Canal conseguiu para se eleger. Isso se dá pela nossa falta de união. E essa falta de união é devido a falta de consciência política de que juntos somos mais fortes que separados. Enquanto pensarmos egoisticamente, nunca deixaremos de ser tribos medievais submetidos aos desmandos dessas igrejas eletrônicas.
A única festa que poderíamos fazer é que o pastor Almerindo Filho, aquele da Universal que criou a lei contra os despachos, só obteve 12 votos. Digo poderíamos porque, com certeza, isso foi uma manobra da Universal. Almerindo já estava “queimado” e o povo ficaria de olho nele e nos seus projetos. Sabendo que o brasileiro tem a memória curta, a Universal elegeu um carioca para a câmara porto-alegrense que agora se candidata à Câmara Federal, ou seja, vai atuar direto em Brasília, pois sabemos que se elegerá; e sua plataforma política com certeza não será a nosso favor. Durante sua campanha na TV, em 2008, passa o tempo todo calado (quem sabe até para esconder o sotaque, pois sabem dos ranços que o gaúcho tem com “estrangeiros”), e é o bispo Émerson Carlos, líder da IURD no Rio Grande do Sul, quem diz: – Olá, Deus abençoe a todos. Este é Waldir Canal, meu candidato a vereador... – bastou para que toda a Igreja votasse nele. O mesmo se repete na sua campanha atual, é o bispo Romualdo Panceiro quem lhe apresenta na TV.


Agora temos uma nova chance de mudar a ideia de que "batuqueiro não vota em batuqueiro". Podemos eleger um ou mais representantes nossos à Assembléia Legislativa. Se realmente somos 80 mil casas em todo o estado, se cada casa tiver 10 filhos-de-santo, somos 800 mil eleitores que podem colocar nossos representantes ocupando a cadeira de deputado para, principalmente, nos proteger de leis criadas pelos evangélicos para nos cercear a liberdade de culto.
O meu voto vai para o Pedro de Oxum (14188), não só porque ele é meu Pai-de-Santo há 10 anos, nem porque há 10 anos eu o conheço, confio nele a ponto de lhe entregar meu ori e o da minha esposa. Nem por ele ser um verdadeiro religioso, que exerce a prática cotidiana do auxílio espiritual a quem o procura, como todos nós babalorixás e ialorixás fazemos. Nem por realizar festas públicas aos Orixás, cumprir obrigações, fazer chão todos os anos sob a mão de seu Pai-de-Santo, Pai Gelson de Bará Lodê. Meu voto vai para o Pedro de Oxum porque ele foi escolhido pelos próprios religiosos para ser seu representante.
Foi em meados de 2009 que alguns afro-religiosos preocupados com as próximas eleições movimentaram a rede de relacionamentos Orkut, na maior comunidade de discussão sobre o Batuque do RS, no sentido de pensar num possível candidato a representante nosso na Assembléia. Para isso foram feitas enquetes e o Pedro de Oxum foi conclamado a ser o nosso candidato. De início relutou, indicou outros nomes, mas não fugiu ao compromisso que lhe outorgaram.
Pedro de Oxum não caiu do céu como candidato. Não resolveu ser candidato por conta própria, nem se colocou neste papel como objetivo pessoal.
Pedro de Oxum foi escolhido pelos próprios afro-religiosos para ser candidato porque acreditamos que ele pode nos defender na Assembléia, além de criar leis e projetos que possam valorizar positivamente nosso povo.
Dia 03 de outubro vote 14188 - PEDRO DE OXUM - o candidato do Axé que faz campanha de axó, guia no pescoço e carrega o nome do seu Orixá. Não há nada mais legítimo que isto.
Àse o
Hendrix Ifáomi Silveira

Professor e Bàbálórìsà



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...